Como personalizar o Live CD do Ubuntu?

193

Eu gostaria de personalizar o live CD do Ubuntu instalando alguns pacotes adicionais. Eu segui isso , mas parece que não funciona. Alguém pode fornecer instruções claras?

Nota : Eu não prefiro o Remastersys, o modo manual será apreciado.

Personalização

Pacotes que quero instalar:

  • Thunderbird
  • Samba
  • SSH

Alterações de que preciso:

  • Remover menu de jogos do menu do aplicativo
  • atalho do Firefox na área de trabalho
  • Radiance como o tema padrão
  • Papel de parede padrão diferente do Ubuntu

Alterações no arquivo de configuração

  • Eu quero que o painel seja colocado na parte inferior
  • Eu quero colar meu arquivo de configuração do Samba em vez da configuração padrão do Samba
  • Tenho alguns atalhos e pastas do Firefox que gostaria de mostrar no Desktop
  • Também será bom se você me disser como alterar os conjuntos de ícones

Atualizações Recentes

  • Personalizei o Ubuntu 10.10 com atalhos do Firefox e poucas pastas nos desktops. Tudo correu bem. Mas o instalador recebe falhas depois de escolher o fuso horário. Como corrijo esse problema?

  • A definição do papel de parede também afeta a tela de login. O papel de parede que eu definir é exibido na tela de login também. Eu só quero o padrão para a tela de login.

por karthick87 13.06.2011 / 18:34

14 respostas

113

Observação: O projeto Ubuntu Builder foi descontinuado .

Criando um CD 12.04 personalizado com o Gnome-Classic usando o Ubuntu-Builder

(por enquanto, isso é específico das necessidades do Karthik; atualizarei a resposta mais tarde com um conteúdo mais geral / específico da unidade)

1. Obtenha o Ubuntu Builder e sua fonte ISO

O Ubuntu Builder automatiza muitos dos passos preliminares que precisavam ser feitos manualmente (monte ISO, extraia squashfs, crie chroot, etc.) Também oferece Synaptic e um chroot "gráfico" (UI do Unity).

Adicione o PPA para instalar o Ubuntu Builder:

sudo add-apt-repository ppa:kamilion/ubuntu-builder
sudo apt-get update
sudo apt-get install ubuntu-builder

Faça o download do ISO do Ubuntu Desktop com o qual você está planejando trabalhar.

2. Princípios básicos do Ubuntu Builder

  • Inicie o Ubuntu Builder a partir do Launcher. Eu recomendo que você defina todos os três campos para "Ubuntu" (como o LiveCD real), porque a configuração de campos personalizados levou à falha do Software Center. Quando você instala, você pode escolher seu próprio nome de usuário, nome da máquina, etc., como sempre.

  • Carregue seu ISO; Eu carreguei o 64-bit com a opção Disco Local , embora o Ubuntu Builder deva ser capaz de baixar o ISO se você quiser.

  • Os botões à direita são auto-explicativos. Console fornece um chroot da CLI, enquanto Desktop fornece um gráfico! , ou seja, uma sessão do LiveCD em si ( este pode demorar um pouco para carregar). Note que o Select DE/WM faz um trabalho incompleto às vezes, então é melhor instalar via apt-get / Synaptic.

3. Atualizando, adicionando o Gnome Classic e outros gerenciamentos de pacotes

  

Nota: Tudo isso também pode ser feito no Synaptic se você estiver mais confortável com isso.

  • Você pode editar o sources.list com o botão (ou através do console) para adicionar seus próprios espelhos, ppas, etc.

Vamos começar com:

  • Remover os jogos
    apt-get remove --purge aisleriot gnome-games-data gnomine mahjongg -y
  • Faça uma atualização geral e dist-upgrade para os itens mais recentes (opcional, mas recomendado já que o Gnome-classic e outros pacotes adicionados serão as versões mais recentes) - em 12.04, esta etapa também instala o Thunderbird e o núcleo Samba componentes. Isso também economizará tempo na instalação real.
    apt-get update && apt-get dist-upgrade
  • Instale o Gnome Classic ( gnome-shell para chamar indicadores, etc.), Samba e SSH:
    apt-get install gnome-shell samba ssh

4. Personalização 1: Arquivos, configurações e remoção do painel superior

  

Nota: Todos os comandos devem ser executados a partir do console do Ubuntu Builder , salvo indicação em contrário (geralmente ao copiar arquivos do seu próprio sistema). O caminho absoluto do chroot é /home/ubuntu-builder/FileSystem

  1. Substitua o arquivo de configuração do Samba (do seu próprio terminal do sistema, ou seja, fora do chroot!)

    sudo cp /path/to/mysmb.conf /home/ubuntu-builder/FileSystem/etc/samba/smb.conf
  2. Coloque o atalho do Firefox na área de trabalho:

    mkdir -p /etc/skel/Desktop && cd /etc/skel/Desktop
    cp /usr/share/applications/firefox.desktop .
    chmod +x firefox.desktop
    
  3. Copie atalhos e pastas personalizados para o Google Desktop (de fora do chroot!)

    sudo cp -r /path/to/mydesktopitems/ /home/ubuntu-builder/FileSystem/etc/skel/Desktop/
  4. Defina gnome-classic como o shell padrão:

    /usr/lib/lightdm/lightdm-set-defaults -s gnome-classic
  5. Remova o painel superior do Gnome Classic e mova os itens principais para o painel inferior:

    • Abra o layout do painel padrão:
      nano /usr/share/gnome-panel/panel-default-layout.layout
    • Exclua o painel superior, removendo as linhas 1-4:
      [Toplevel top-panel]
      expand=true
      orientation=top
      size=24
      
    • Mova o menu Iniciar para a parte inferior esquerda, modificando o valor em negrito do parâmetro em itálico , conforme abaixo:
      [Object menu-bar]
      object-iid=PanelInternalFactory::MenuBar
      toplevel-id=bottom-panel
      pack-index=0
      
    • Mova os indicadores para o canto inferior direito, à esquerda do Alternador de espaços de trabalho, modificando o valor em negrito dos parâmetros em itálico , conforme abaixo:

      [Object indicators]
      object-iid=IndicatorAppletCompleteFactory::IndicatorAppletComplete
      toplevel-id=bottom-panel
      pack-type=end
      pack-index=1
      
    • Remova o botão "Mostrar área de trabalho" da parte inferior esquerda; Eu prefiro que o Menu Iniciar seja a primeira coisa lá, você pode deixá-lo ou movê-lo para o canto inferior direito, etc. Exclua estas linhas:

      [Object show-desktop]
      object-iid=WnckletFactory::ShowDesktopApplet
      toplevel-id=bottom-panel
      pack-index=0
      
    • Salve e saia.

5. Personalização 2: Planos de fundo e temas

  

Nota: /usr/share/glib-2.0/schemas contém a maioria das configurações padrão de plano de fundo / tema; Achei mais fácil modificá-las diretamente para um LiveCD, em vez de ter que lidar com coisas complicadas apenas para, por exemplo, impedir que o fundo da tela de login é o mesmo que o plano de fundo da área de trabalho.

  1. Desative a tela de login (lightdm) de "copiar" o plano de fundo da área de trabalho e outras alterações:

    • Abrir nano /usr/share/glib-2.0/schemas/com.canonical.unity-greeter.gschema.xml
    • Você pode alterar o plano de fundo do login aqui, se quiser:
      <key name="background" type="s">
      <default>'/usr/share/backgrounds/warty-final-ubuntu.png'</default>
      
    • Desative "copiar" o plano de fundo da área de trabalho definindo isso como false :
      <key name="draw-user-backgrounds" type="b">
      <default>false</default>
      
    • Defina o tema de login para o Radiance:
        <key name="theme-name" type="s">
      <default>'Radiance'</default>
      
  2. Altere o papel de parede padrão; aqui, vamos configurá-lo para o " Amarre meu barco " ( /usr/share/backgrounds/Tie_My_Boat_by_Ray_García.jpg ):

    • Abra nano /usr/share/glib-2.0/schemas/10_gsettings-desktop-schemas.gschema.override e altere a linha abaixo para o caminho do seu arquivo:
    picture-uri='file:///usr/share/backgrounds/warty-final-ubuntu.png'
    
  3. Altere o tema para Radiance

    • Abra o tema do Ubuntu substitua o arquivo '' nano /usr/share/glib-2.0/schemas/ubuntu-artwork.gschema.override 'e altere o Ambiente abaixo para Radiance :
      [org.gnome.desktop.interface]
      gtk-theme="Ambiance"
      ...
      [org.gnome.desktop.wm.preferences]
      theme="Ambiance"
      
  4. Importante: Compile os esquemas modificados!

    • Agora que terminamos de personalizar, compile os esquemas modificados com:
      glib-compile-schemas /usr/share/glib-2.0/schemas 

6. Construa, teste e instale!

  • Pressione o botão Build no Ubuntu Builder para começar a criar a ISO personalizada do Live-CD. O UB lida automaticamente com a limpeza, etc., que anteriormente precisava ser feita manualmente.

  • O ISO pode ser encontrado em /home/ubuntu-builder ; você pode testá-lo usando o QEMU interno ou em outra máquina virtual.

  • Meu tamanho de CD finalizado foi de 778 MB (depois de remover o antigo .23 kernel), com o Unity e o Gnome 3D ainda disponíveis se o usuário desejar, então isso é muito bom para uma personalização! :)

O seguinte deve resultar:

  1. Após o boot, você obtém a opção "Try Ubuntu" ou "Install Ubuntu":

  2. Clicar em "Experimentar" nos permite acessar nossa área de trabalho personalizada!

  3. E sair (login com ubuntu , senha em branco) mostra que o papel de parede de login é mantido no padrão:

  4. O instalador não falha na seleção de fuso horário:

  5. Selecione o nome de usuário, etc. para instalação:

  6. Tela de login instalada:

  7. Área de trabalho instalada:

por ish 29.06.2012 / 13:09
107

Criando seu próprio Live CD personalizado - o modo manual.

1. Preparações

  • Primeiro você faz o download do Live CD ISO . Durante o download, instale alguns softwares necessários para a reconstrução: sudo apt-get install squashfs-tools dchroot

    Squashfs é um sistema de arquivos compactado somente leitura para Linux.

    dchroot permite que os usuários executem comandos ou shells interativos em diferentes chroots.

  • Monte o CD ao vivo:

    mkdir /tmp/livecd
    sudo mount -o loop ~/Downloads/ubuntu-11.04-desktop-i386.iso /tmp/livecd
    

    Se você usar outro ISO ou outro local para o seu download, ajuste de acordo.

  • Crie uma área de trabalho e copie o conteúdo para a área de trabalho:

    mkdir -p ~/livecd/cd
    rsync --exclude=/casper/filesystem.squashfs -a /tmp/livecd/ ~/livecd/cd
    mkdir ~/livecd/squashfs  ~/livecd/custom
    sudo modprobe squashfs
    sudo mount -t squashfs -o loop /tmp/livecd/casper/filesystem.squashfs ~/livecd/squashfs/
    sudo cp -a ~/livecd/squashfs/* ~/livecd/custom
    
  • Se você receber um erro como este ao fazer o modprobe:

    sudo modprobe squashfs 
    WARNING: Deprecated config file /etc/modprobe.conf, 
    all config files belong into /etc/modprobe.d/
    

    mova o modprobe.conf mv /etc/modprobe.conf /etc/modprobe.conf.OLD e tente novamente!

  • Acesso à rede:

    sudo cp /etc/resolv.conf /etc/hosts ~/livecd/custom/etc/
    
  • Crie um pseudo sistema de arquivos:

    sudo chroot ~/livecd/custom /bin/bash -l
    mount -t proc none /proc/
    mount -t sysfs none /sys/
    

2. Customizando

  • Você pode obter uma lista de todos os pacotes com dpkg-query -W --showformat='${Package}\n' | less

  • Você pode remover jogos com apt-get remove --purge gnome-games

  • Atualize suas fontes com sudoedit /etc/apt/sources.list . Comente as linhas que você não quer e descomente as que você quer, adicione os PPAs se quiser e então você precisa atualizar com apt-get update && apt-get dist-upgrade

  • A adição de pacotes como thunderbird, Samba, configuração do sistema Samba e SSH é feita da mesma forma que você normalmente instalaria a partir da linha de comando. Então, sudo apt-get install thunderbird samba system-config-samba ssh adicionará esses.

  • Se você baixou manualmente o pacote de você pode instalá-lo com sudo dpkg -i {file_name}.deb

    • Você pode verificar o Ubuntu Software Center, o Synaptic ou o site de pacotes para os nomes, caso seja necessário instalar mais.
    • Você pode considerar a adição de utilitários de rede (sem fio).
    • Você executará rapidamente mais de 800 MB. Se você remover mais pacotes para obter menos de 800 ou você precisa usar um DVD ao gravar. Removendo o libre office você liberará mais de 33 Mb se não precisar dele.
  • Para criar um atalho AskUbuntu na área de trabalho:

    mkdir -p /etc/skel/Desktop && printf '[Desktop Entry]\nVersion=1.0\nName=Ask Ubuntu\nComment=Ask Questions About Ubuntu\nGenericName=Question and Answers\nExec=xdg-open http://askubuntu.com\nTerminal=false\nX-MultipleArgs=false\nType=Application\nIcon=firefox\nCategories=Internet;\n' > /etc/skel/Desktop/askubuntu.desktop && chmod a+x /etc/skel/Desktop/askubuntu.desktop
    

    Você pode adicionar mais (pule a parte do mkdir) editando o URL para outra coisa. Cortesia de dv3500ea

  • Alterando as configurações dentro do gconf-editor.

    Você pode alterar qualquer opção gconf se você souber qual é o caminho dessa opção e o valor que você quer que seja (e o tipo do valor, é claro).

    Alterar o papel de parede é feito com o caminho que eu apontei setas para: /desktop/gnome/background/ , é um valor de string e usa picture_filename como uma opção. O valor atualmente retido na minha área de trabalho é /discworld2/Downloads/fantasticwall_2.jpg . O fundo em si deve ser copiado em /usr/share/backgrounds/ . Certifique-se de definir permissões e proprietário.

    Exemplos:

    • Para mudar o papel de parede (altere o nome do arquivo no primeiro comando para sua própria imagem) para esta imagem e para mudar o tema para Radiance você pode usar essas informações para criar comandos para definir isso para o seu live cd:

      gconftool-2 --direct --config-source xml:readwrite:/etc/gconf/gconf.xml.defaults --set -t string /desktop/gnome/background/picture_filename  /discworld2/Downloads/fantasticwall_2.jpg
      
      gconftool-2 --direct --config-source xml:readwrite:/etc/gconf/gconf.xml.defaults --set -t string /desktop/gnome/interface/gtk_theme Radiance
      

      Cortesia de dv3500ea

    • Ativar área de trabalho remota:

      gconftool-2 --direct --config-source xml:readwrite:/etc/gconf/gconf.xml.defaults --set -t bool /desktop/gnome/remote_access/enabled true
      

      Configurações para ícones, painéis, etc. são feitas adicionando um comando como este.

    • Como alternativa, você pode editar /etc/gconf/gconf.xml.defaults/%gconf-tree.xml (ou, quando estiver inativo, salve esse arquivo para uso futuro). Todas as definições de configuração feitas através do gconftool-2 são armazenadas neste arquivo.

  • Altere o fuso horário padrão usado pelo live cd

    dpkg-reconfigure tzdata
    
  • Alterar a configuração de localidade para inglês (é claro, mude para o que você deseja)

    locale-gen en
    update-locale LANG=en LANGUAGE=en LC_ALL=en
    
  • Configure os arquivos de configuração.

    Se você deseja ter um arquivo de configuração personalizado para um determinado pacote, você pode fazer isso de várias maneiras.

    A maneira difícil (mas mais lógica) seria encontrar o pacote, alterar o arquivo de configuração e reembalá-lo ou localizar os arquivos de origem, descobrir onde eles armazenam o arquivo de configuração fictício e alterá-lo e reconstruir o pacote .

    • Claro que isso só funciona se o arquivo de configuração padrão estiver incluído no pacote de origem. Muitos pacotes geram automaticamente seus arquivos de configuração no script {packagename} .postinst, o que dificultaria bastante a execução desse processo.

      A maneira mais fácil seria criar um script e copiar sua configuração atual para /etc/skel para que eles sejam adicionados à sua área de trabalho (semelhante à adição de atalhos do firefox como explicado acima) e após instalar clique no link desktop para definir o arquivo de configuração para o lugar que precisa ser. O script pode fazer a cópia e a remoção do script e do arquivo de configuração da sua área de trabalho após a instalação bem-sucedida.Este método pode ser usado para atualizar a configuração do Samba (coloque sua configuração atual em /etc/skel/ . Coloque um script lá que tenha permissões de execução e contenha uma movimentação da referida configuração para /etc/samba/smbd.conf e tudo que você precisa fazer depois é executar o script).

    • Isso basicamente sempre funciona, pois substitui uma ação manual de pós-instalação por um script manualmente ativado após a instalação. Mas isso também significa que não faz parte do live cd personalizado.

3. Limpar

apt-get clean
rm -rf /tmp/*
rm -f /etc/hosts /etc/resolv.conf
umount /proc/
umount /sys/
exit

Isso remove todos os arquivos temporários; não o que nós criamos. ~/livecd/ é somente leitura, portanto, um% normal co_de% não removerá esses arquivos. Você precisa montá-lo com acesso de gravação (ou como eu usei o novo cd ao vivo para inicializar e montar a casa e rm a partir daí.

4. Configurando o ISO

  • Arquivos de manifesto.

    chmod +w ~/livecd/cd/casper/filesystem.manifest
    sudo chroot ~/livecd/custom dpkg-query -W --showformat='${Package} ${Version}\n' > ~/livecd/cd/casper/filesystem.manifest
    sudo cp ~/livecd/cd/casper/filesystem.manifest ~/livecd/cd/casper/filesystem.manifest-desktop
    
  • Regenerar o arquivo squashfs.

    sudo mksquashfs ~/livecd/custom ~/livecd/cd/casper/filesystem.squashfs
    
  • Atualizar somas md5.

    sudo rm ~/livecd/cd/md5sum.txt
    sudo bash -c 'cd ~/livecd/cd && find . -type f -exec md5sum {} +' > md5sum.txt
    

5. Criando o ISO.

cd ~/livecd/cd
sudo mkisofs -r -V "Ubuntu-Live" -b isolinux/isolinux.bin -c isolinux/boot.cat -cache-inodes -J -l -no-emul-boot -boot-load-size 4 -boot-info-table -o ~/Downloads/ubuntu-11.04-desktop-i386.iso .

6. Desmontar & amp; Limpar

sudo umount ~/livecd/squashfs/
sudo umount /tmp/livecd
sudo rm -fr ~/livecd/

7. Comentários:

  • Tudo foi testado com um Live CD do Ubuntu 11.04. A única coisa que deu errado foi o chrooting: adicionei o dchroot aos arquivos que você precisa instalar para fazer isso.

  • Sobre "deve criar alguns atalhos do firefox no desktop", "Deve mudar o tema padrão para brilho" e "Deve mudar o papel de parede padrão do Ubuntu". Eu os editei depois que o dv3500ea colocou nos comentários; Eu não testei isso enquanto criava o live cd 11.04.

por Rinzwind 27.04.2016 / 23:32
23

Criando um CD ao vivo a partir de uma instalação existente / nova

EDIT: Este método parece não funcionar mais. Eu sugiro que você tente outros métodos sugeridos neste QA.

Uma boa maneira seria criar um live CD a partir de uma instalação atual. Isso pode ser feito usando uma máquina virtual (apenas não instale nenhuma ferramenta de VM dentro do sistema operacional convidado)

Então, primeiro precisamos de uma nova instalação (se você não pode instalá-lo de verdade, tente usar uma máquina virtual) com apenas as coisas que você precisa (no seu caso, thunderbird, samba e ssh). Em seguida, ajustamos o sistema e gravamos onde os ajustes são (por exemplo, você altera o plano de fundo da área de trabalho, as configurações estão em ~ / .gconf ou você adiciona atalhos do firefox, elas estão localizadas em ~ / Desktop). Isso é necessário para o passo 4.

  1. Configure algumas variáveis:

    export WORK=~/temp
    export CD=~/livecd
    export FORMAT=squashfs
    export FS_DIR=casper
    

    Substitua ~ / temp por um caminho para um temporário diretório em que trabalharemos. Substitua ~ / livecd por um caminho para o Árvore de CD.

  2. Crie a estrutura de pastas. sudo mkdir -p ${CD}/{${FS_DIR},boot/grub} ${WORK}/rootfs

  3. Agora precisaremos instalar alguns pacotes:

    sudo apt-get install grub2 xorriso squashfs-tools
    
  4. Agora vamos copiar a instalação atual, modificar os sinalizadores de exclusão para atender às suas necessidades:

    sudo rsync -av --one-file-system --exclude=/proc/* --exclude=/dev/* \
    --exclude=/sys/* --exclude=/tmp/* --exclude=/home/* --exclude=/lost+found \
    --exclude=/var/tmp/* --exclude=/boot/grub/* --exclude=/root/* \
    --exclude=/var/mail/* --exclude=/var/spool/* --exclude=${WORK}/rootfs \
    --exclude=/etc/fstab --exclude=/etc/mtab --exclude=/etc/hosts \
    --exclude=/etc/timezone --exclude=/etc/shadow* --exclude=/etc/gshadow* \
    --exclude=/etc/X11/xorg.conf* --exclude=/etc/gdm/custom.conf \
    / ${WORK}/rootfs
    

    Se você tiver uma partição de inicialização separada, execute isto: sudo cp -av /boot/* ${WORK}/rootfs/boot
    No seu caso, você deseja copiar configurações e alguns arquivos do diretório pessoal. Primeiro, defina quais diretórios queremos copiar:     CONFIG = '. Config .gconf Desktop someotherfolder e uma outra pasta' E agora copiamos isso:

    cd ~ && for i in $CONFIG
    do
    sudo cp -rpv --parents $i ${WORK}/rootfs/etc/skel
    done        
    
  5. Agora fazemos o chroot no novo sistema e o modificamos.

    sudo mount  --bind /dev/ ${WORK}/rootfs/dev
    sudo mount -t proc proc ${WORK}/rootfs/proc
    sudo mount -t sysfs sysfs ${WORK}/rootfs/sys
    sudo mount -t devpts devpts ${WORK}/rootfs/dev/pts
    sudo chroot ${WORK}/rootfs /bin/bash
    

    Os próximos comandos são feitos em chroot:

    LANG=
    apt-get update
    apt-get install casper
    

    Casper contém scripts ativos. Se você quiser um instalador também, execute isto:

    apt-get install ubiquity ubiquity-frontend-gtk
    

    Ou se você quiser o KDE:

    apt-get install ubiquity ubiquity-frontend-kde
    
  6. Atualize modules.dep e initramfs:

    depmod -a $(uname -r)
    update-initramfs -u -k $(uname -r)
    
  7. Remova usuários que não são do sistema - não se preocupe, copiamos as configurações e os dados para o "esqueleto" dos usuários. Isso significa que todos os novos usuários os terão.

    for i in 'cat /etc/passwd | awk -F":" '{print }''
    do
        uid='cat /etc/passwd | grep "^${i}:" | awk -F":" '{print }''
        [ "$uid" -gt "999" -a  "$uid" -ne "65534"  ] && userdel --force ${i} 2>/dev/null
    done
    
  8. Limpar:

    apt-get clean
    find /var/log -regex '.*?[0-9].*?' -exec rm -v {} \;
    find /var/log -type f | while read file
    do
        cat /dev/null | tee $file
    done
    rm /etc/resolv.conf /etc/hostname
    
  9. Saia do chroot. exit

  10. Agora, copiamos o kernel:

    export kversion='cd ${WORK}/rootfs/boot && ls -1 vmlinuz-* | tail -1 | sed '[email protected]@@''
    sudo cp -vp ${WORK}/rootfs/boot/vmlinuz-${kversion} ${CD}/boot/vmlinuz
    sudo cp -vp ${WORK}/rootfs/boot/initrd.img-${kversion} ${CD}/boot/initrd.img
    sudo cp -vp ${WORK}/rootfs/boot/memtest86+.bin ${CD}/boot
    
  11. Se você instalou o instalador, precisará fazer isso, para que o instalador não instale coisas como casper:

    sudo chroot ${WORK}/rootfs dpkg-query -W --showformat='${Package} ${Version}\n' | sudo tee ${CD}/${FS_DIR}/filesystem.manifest
    sudo cp -v ${CD}/${FS_DIR}/filesystem.manifest{,-desktop}
    REMOVE='ubiquity casper user-setup os-prober libdebian-installer4'
    for i in $REMOVE 
    do
        sudo sed -i "/${i}/d" ${CD}/${FS_DIR}/filesystem.manifest-desktop
    done        
    
  12. Desmontar o que montamos:

    sudo umount ${WORK}/rootfs/proc
    sudo umount ${WORK}/rootfs/sys
    sudo umount ${WORK}/rootfs/dev/pts
    sudo umount ${WORK}/rootfs/dev
    
  13. Converta para o squashfs:

    sudo mksquashfs ${WORK}/rootfs ${CD}/${FS_DIR}/filesystem.${FORMAT}
    
  14. Crie o filesystem.size: echo -n $(sudo du -s --block-size=1 ${WORK}/rootfs | tail -1 | awk '{print }') | sudo tee ${CD}/casper/filesystem.size

  15. e md5: find ${CD} -type f -print0 | xargs -0 md5sum | sed "[email protected]${CD}@[email protected]" | grep -v md5sum.txt |sudo tee ${CD}/md5sum.txt

  16. Agora grub.cfg:

    sudo nano ${CD}/boot/grub/grub.cfg
    

    (substitua o nano pelo seu editor de texto fav, não importa) Cole e salve:

    set default="0"
    set timeout=10
    
    menuentry "Ubuntu GUI" {
    linux /boot/vmlinuz boot=casper quiet splash
    initrd /boot/initrd.img
    }
    
    
    menuentry "Ubuntu in safe mode" {
    linux /boot/vmlinuz boot=casper xforcevesa quiet splash
    initrd /boot/initrd.img
    }
    
    
    menuentry "Ubuntu CLI" {
    linux /boot/vmlinuz boot=casper textonly quiet splash
    initrd /boot/initrd.img
    }
    
    
    menuentry "Ubuntu GUI persistent mode" {
    linux /boot/vmlinuz boot=casper boot=casper persistent quiet splash
    initrd /boot/initrd.img
    }
    
    
    menuentry "Ubuntu GUI from RAM" {
    linux /boot/vmlinuz boot=casper nopersistent toram quiet splash
    initrd /boot/initrd.img
    }
    
    menuentry "Check Disk for Defects" {
    linux /boot/vmlinuz boot=casper integrity-check quiet splash
    initrd /boot/initrd.img
    }
    
    
    menuentry "Memory Test" {
    linux16 /boot/memtest86+.bin
    }
    
    
    menuentry "Boot from the first hard disk" {
    set root=(hd0)
    chainloader +1
    }
    
  17. Se você quiser, você pode adicionar uma entrada de menu adicional, que permite que você pule direto para a Ubiquity.

    menuentry "Install Ubuntu" {
    linux /boot/vmlinuz boot=casper only-ubiquity quiet splash
    initrd /boot/initrd.img
    }
    
  18. Faça o CD / DVD!      sudo grub-mkrescue -o ~/live-cd.iso ${CD}

  19. Teste-o usando uma máquina virtual!

Todo o crédito vai para o capink, porque o guia é de aqui .

    
por nickguletskii 20.06.2011 / 14:49
15

Você pode usar uck ou o live-magic para personalizar seu Live CD.

uck está disponível nas fontes oficiais de software do Ubuntu, em todas as versões do Ubuntu desde 10.04 LTS Lucid Lynx. Você pode instalar o uck do Centro de Software, com apt-get na linha de comando ou clicando aqui .

    
por yevhene 04.08.2010 / 10:50
10

Kit de personalização do Ubuntu

É uma coleção de scripts que facilita a criação de um LiveCD personalizado a partir de uma imagem .iso existente. É muito semelhante ao Remastersys, com a diferença de que é ativamente mantido. Ele tem uma GUI para ajudar na personalização, mas também é possível usar a linha de comando para fazer o mesmo.

  1. Ele pedirá para selecionar quais pacotes de idiomas serão incluídos no CD.
  2. Em seguida, ele pedirá para selecionar o arquivo de imagem .iso, que será usado como base para o novo CD.
  3. Dê um nome para a nova imagem .iso que será criada.
  4. Em seguida, ele solicitará os pacotes que serão adicionados / removidos de / para o LiveCD. Ele lhe dará uma opção entre a linha de comando e a GUI padrão (Ubuntu Software Center). Nota: Você deve selecionar a linha de comando. A partir da linha de comando, você pode adicionar / remover pacotes usando o apt-get ou usando o Ubuntu Software Center (digite software-center na linha de comando). Você também pode modificar as configurações de todos os softwares / aplicativos.
  5. Depois de terminar (pode levar algum tempo para fazer o download dos pacotes necessários), continue.
  6. Agora, sente-se e relaxe. Depois de algum tempo, seu LiveCD personalizado estará pronto.
por rigved 11.11.2011 / 16:25
5

Se você precisar de mais controle sobre exatamente quais alterações são feitas, é possível fazer a modificação manualmente.

O processo consiste em descompactar o arquivo de dados SquashFS que contém o sistema de arquivos raiz do sistema operacional ao vivo, chrooting no sistema de arquivos extraído, fazendo suas modificações, saindo do chroot, reempacotando o arquivo SquashFS e, em seguida, regenerando a imagem ISO.

Detalhes completos são descritos na página LiveCDCustomization do wiki do Ubuntu.

    
por ændrük 10.10.2010 / 06:39
5

No Ubuntu Software Center

  

Editar & gt; Fontes de software & gt; Outro Software & gt; Adicionar ..

Cole a seguinte linha na caixa e clique em adicionar origem.

  

deb link karmic

Recarregue as fontes e instale o Remastersys no Centro de Software.

Uma vez feito, instale todos os codecs de mídia e aplicativos que você gostaria em seu Ubuntu personalizado. Comece remastersys de

  

Sistema & gt; Administração & gt; Remastersys

Escolha o modo dist , clique em ok e aguarde o processo terminar. Quando terminar, você encontrará sua iso personalizada em

  

/home/remastersys/remastersys/custom.iso

    
por Owais Lone 10.10.2010 / 09:24
3

A Remastersys pode ser a resposta às suas necessidades. Você precisa acessar o link e seguir as instruções. Este programa faz uma iso do seu sistema operacional, incluindo todas as configurações e aplicativos. Do que você pode gravar um CD usando esta iso. Infelizmente, houve no passado um problema para executá-lo como um CD ao vivo, enquanto a instalação não era problema (eu não sei se isso ainda é um problema).

    
por dago 13.06.2011 / 21:46
1

Não há "GUI" que conheço fora do Lucid, no entanto gNewsense , que é uma bifurcação do Ubuntu faz seus scripts para obter uma versão do Ubuntu e criar um fork customizado livremente disponível e bem documentado.

É basicamente um processo de:

  1. Colocando seu trabalho artístico personalizado onde os scripts podem encontrá-lo
  2. Decidindo o que você quer no seu kernel (ou o que você não quer)
  3. Decidindo quais pacotes você quer (ou o que você não quer)
  4. Executando um script que espelha um repositório apt
  5. Criando o CD / ISO de distribuição.

Embora não seja exatamente "amigável para iniciantes", suas ferramentas são relativamente fáceis de usar.

    
por Tim Post 04.08.2010 / 15:27
1

Eu modifiquei um novo serviço baseado na Web chamado Reconstructor . Segundo o site deles,

  

Reconstructor é um kit de ferramentas para   criando versões personalizadas do   Sistema operacional GNU / Linux,   especificamente Debian e Ubuntu.

De acordo com um artigo do Linux Journal sobre o Reconstructor , eles cobram pequenas taxas para personalizações. Se vale a pena depende de suas necessidades.

    
por mac9416 04.08.2010 / 15:48
0

Aconselho-o a experimentar o Reconstrutor

"Reconstructor é um CD Creator do Ubuntu GNU / Linux que permite modificar uma distribuição existente no Ubuntu e salvar como sua própria distribuição Linux. Ele usa o disco Desktop (Live), Alternate (Install) ou Server como base, e, em seguida, permite a personalização do usuário. Você pode basicamente personalizar todo o ambiente, como adicionar / remover software, alterar a aparência padrão (splash, temas, fontes, papel de parede, etc.), adicionar links de área de trabalho, etc. "

Além disso, para mais informações, leia estes links: link

link

link

    
por LnxSlck 21.03.2012 / 10:43
0

Faça o download do link siga as instruções e quando ele pedir para executar o gerenciador de pacotes, um aplicativo de console ou continuar o empacotamento, selecione o aplicativo Console.

Agora você pode executar

  

nautilus

     

unidade-2d-launcher

     

unidade-2d-painel

e faça tudo.

Se isso não funcionar primeiro, tente executar o gerenciador de pacotes e tente novamente com o console.

Espero que isso ajude.

    
por nastys 24.06.2012 / 13:04
0

Você pode modificar o arquivo /etc/hosts padrão (bem como alguns outros arquivos padrão) editando /usr/share/ubiquity/plugininstall.py

Achei que seria útil compartilhar como eu precisava saber como fazer isso.

    
por SW_user2953243 07.10.2014 / 20:09
0

Você também pode usar JLIVECD para personalizar uma imagem ISO. É uma ferramenta de linha de comando para personalizar distribuições baseadas em Ubuntu e Ubuntu. Ele dá a você controle completo sobre as coisas que precisam de customização, mas você precisa saber o que precisa ser feito, isto é, ele apenas prepara o ambiente chroot para você (o resto depende de você) e constrói o ISO final. Você pode continuar adicionando novas alterações às alterações existentes e continuar verificando as ISOs construídas nelas.

    
por Jahid 26.10.2015 / 21:16